16.9.19

Ensaio > CR-V Hybrid i-MMD Lifestyle 2WD


Com um largo historial de sucesso mundial, o CR-V é uma das ofertas mais fortes que a Honda tem no mercado europeu. O SUV familiar da marca japonesa renova-se com uma nova geração mas também com a adoção de novas tecnologias, abraçando o sistema híbrido como modo de propulsão e como meio de se tornar também mais amigo do ambiente.

Depois de termos tido um primeiro e curto contacto na altura do seu lançamento, e que nos soube a pouco, voltámos para confirmar as suas capacidades num ensaio mais completo testando o modelo numa já habitual variedade de cenários que desta vez nos levou até à fronteira norte de Portugal.


DESIGN E EQUIPAMENTO
O Honda CR-V vai agora na sua 5ª geração apresentando com esta argumentos ainda mais fortes para quem procura um SUV familiar, com destaque para a introdução da versão de 7 lugares.

Ao contrário da restante gama europeia da marca que viu o seu design ser completamente transformado, quebrando com o das anteriores gerações, a renovação do CR-V surge com um visual mais arrojado mas mantém a aparência robusta e as linhas volumétricas que o identificam, como forma de ligação familiar ao passado e transmitindo um sentimento reconfortante ao cliente habitual do modelo.
Exteriormente, é o novo desenho dos faróis dianteiros e traseiros a alteração que mais salta à vista nesta 5ª geração, sendo que serão os traseiros que mais controvérsia poderão gerar... mas gostos são gostos e se todos gostássemos do mesmo...


Interiormente, a versão híbrida destaca-se pela falta da manete das mudanças, substituída pelo mesmo sistema de botões já familiar do Civic 9AT.
O nível de equipamento "Lifestyle" do exemplar ensaiado foi brindado com um interior sóbrio, com uma mistura de revestimentos em tecido e pele de cor negra com apontamentos metálicos nas portas, no tablier e consola central. A coroar esta última encontra-se o ecrã tátil de 7" do sistema de info-entretenimento, no qual felicitamos o regresso do botão rotativo do volume.

Os materiais são agradáveis e de boa qualidade, embora o plástico que cobre a consola central na zona dos seletores das velocidades e dos 3 modos de condução do sistema i-MMD (Intelligent Multi Mode Drive) pudesse ter sido presenteado com um tratamento mais cuidado (talvez com algum tipo de textura), e o plástico transparente que cobre o display de 7" da interface de informação ao condutor ser menos propenso a micro-riscos gerados pelas limpezas.
Apesar disso, a montagem é boa, não se notando desalinhamentos ou ruídos parasitas.

Os bancos oferecem uma excelente ergonomia e boa posição de condução, e ajudados pela competente suspensão proporcionam um nível de conforto muito agradável quer em curtas como em viagens longas.


O Honda CR-V continua a ser senhor de um espaço interior magnífico, característica que se estende à bagageira de 1692 litros (no total) que mantém um amplo compartimento de transporte onde parece caber tudo e mais alguma coisa, assim como um largo e rebaixado vão de acesso dado pela porta de generosas dimensões.

A nível de equipamento, a versão "Lifestyle" do híbrido vem equipada com tudo o que é necessário para a condução diária, e mais algumas daquelas funções que só percebemos o jeito que dá nas situações que pensamos ser esporádicas, mas que acabam por acontecer mais vezes do que julgávamos.
Equipamentos como o pacote de segurança e assistência à condução Honda Sensing, função de seguimento, sistema de chamada de emergência (E-call), porta-óculos com espelho de grande angular (útil para quem transporte crianças), vidros escurecidos, iluminação em curva ativa e o sistema de suporte dos máximos (HSS) estão presentes neste nível de equipamento para além de muitos outros.
O nível de topo do híbrido, "Executive", acrescenta alguns luxos como o tecto panorâmico, a regulação elétrica com memória do banco do condutor, o volante com aquecimento e a projeção holográfica no pára-brisas (Head Up Display), mas está apenas disponível na versão AWD.


MOTOR E CONSUMOS
O CR-V Hybrid é equipado com um motor de combustão i-VTEC a gasolina de 1993 cc e 145 cv ajudado por um sistema híbrido de 2 motores elétricos que elevam a potência total para os 184 cv, o sistema propulsor está acoplado a uma transmissão automática e-CVT de relação única capaz de transições mais suaves do que as convencionais CVT.

O conjunto oferece uma experiência de condução consistente, ágil e silenciosa quando o modo elétrico entra em ação. O silêncio apenas é interrompido pelo ruído menos agradável da aceleração do motor de combustão em rotações mais elevadas que, pelo facto de ser gerido pela transmissão automática, continua a dar a sensação de estar continuamente em esforço.

A aceleração inicial tanto pode ser poderosa quando assim se exige, acionando o conjunto combustão/elétrico, como pode ser tão linear e quase impercetível quando queremos apenas a subtileza do modo EV.

O sistema híbrido i-MMD do novo CR-V dá a possibilidade do condutor escolher transitar em modo híbrido ou em modo exclusivamente elétrico através do selecionar de um botão. No entanto, o modo EV é automaticamente alterado para o de combustão assim que o sistema deteta que a autonomia da bateria está a chegar ao fim, passando ao modo de recarga da mesma até que esta esteja novamente com capacidade suficiente para voltar a ser usada no modo híbrido. Todo o processo é realizado rapidamente e gerido automaticamente sem intervenção do condutor e de forma impercetível.

A autonomia do modo EV fica condicionada às necessidades de potência relacionadas com as exigências do percurso, e não tanto com a distância percorrida. Ou seja, a bateria, embora limitada comparativamente à dos atuais veículos elétricos, tanto pode esgotar-se em poucos metros (nos casos de trânsito lento onde a regeneração é dificultada, por exemplo) como dar-nos a possibilidade de percorrer vários quilómetros (+/- 10 a 15 km) caso as condições do percurso e trânsito sejam favoráveis.


O recarregamento da bateria é efetuado através da travagem, seja ela feita por via dos travões ou por desaceleração do motor, ficando, por isso, o tempo para um recarregamento total condicionado ao tipo de condução que se efetua em seguida. No entanto, a utilização da bateria para a condução híbrida pode ser imediatamente efetuada após um recarregamento parcial.

Um sistema bastante inteligente e altamente eficiente que conjuga o melhor de dois mundos, a economia e zero emissões do sistema elétrico, e a autonomia e facilidade de reabastecimento dos sistemas tradicionais a combustão. A "cereja no topo do bolo" (pelo menos em Portugal) seria se a gasolina estivesse ao preço do gasóleo ou do GPL... e, pessoalmente, se o sistema estivesse associado a uma transmissão manual então seria "o melhor bolo do mundo".

A eficiência foi comprovada pelos consumos efetuados ao longo dos mais de 1200 km de estradas urbanas, nacionais, serranas e autoestradas que, considerando a resistência aerodinâmica da volumetria do CR-V, o seu peso, o facto de ser a gasolina e da dimensão do bloco motriz a combustão, são surpreendentes.

Durante o ensaio foram registadas médias de 5,2 lt/100km em cidade, entre 5,5 e 6 lt/100km em ambientes extra-urbanos, chegando aos 7,5 litros nas difíceis e curvilíneas estradas de serra do Gerês. Em autoestrada, foram registadas médias de 6,1 lt/100km com o ar-condicionado inativo e 6,4 lt/100km com ar-condicionado e alguns acionamentos do modo "Sport".
No final dos 1239 km percorridos (7% em urbano, 23% em extra-urbano e 70% em autoestrada), na entrega da unidade ensaiada, o computador de bordo marcava uma média combinada de 6,2 lt/100km, refletindo-se num gasto total de pouco mais de um depósito e meio de combustível.


COMPORTAMENTO
Conforto é provavelmente a característica que mais se destaca no Honda CR-V, a competente suspensão associada ao rígido chassis consegue ao mesmo tempo absorver as imperfeições das estradas mais degradadas ou empedradas e manter uma estabilidade irrepreensível nas de traçado mais irregular. Juntamente com uma direção precisa e uma excelente travagem, o CR-V transmite-nos uma estabilidade e segurança na condução que torna cada viagem uma experiência de tranquilidade e confiança.

Em termos de aceleração, o SUV familiar da Honda não é nenhum velocista de alta competição, mas os 8.8 segundos (dados da marca) que demora a mover os seus mais de 1600 kg dos 0 aos 100km/h, não o tornam propriamente na tartaruga do segmento. Considerando os 315 Nm de binário do competente conjunto híbrido, o CR-V é capaz de oferecer uma aceleração satisfatoriamente consistente e poderosa quando se carrega firmemente no acelerador. Para um desenvolvimento mais rápido, basta selecionar o modo "Sport" tornando a sua atitude notavelmente mais responsiva.

Já o modo EV traz uma excecional e silenciosa linearidade à aceleração. O modo perfeito para quem quiser desfrutar de uma passeio no meio da natureza com o mínimo de distúrbio, onde o único barulho emitido é o som do rolamento dos pneus. No primeiro arranque, antecedendo o típico ligeiro zumbido do trabalhar dos elétricos, nota-se mesmo um leve som a roçar o cómico, pelo inesperado, como se algo angelical fosse acontecer.

No geral, a Honda conseguiu manter o nível de qualidade esperado no seu mais bem sucedido SUV, continuando este a não desapontar nas prestações e conforto oferecidos.
Em particular, o Hybrid 2WD revelou-se sólido e equilibrado em todos os fatores, com a notória competência dinâmica e tecnológica no comportamento e na atuação do sistema motriz híbrido, que associada à fiabilidade comprovada da marca e à oferta de série do completo pacote de segurança de assistência à condução e de info-entretenimento, fazem do CR-V híbrido a opção perfeita para quem quer um veículo pronto para uma ampla variedade de situações, com consumos comedidos e que o acompanhará por muitos e largos anos.
Caso seja daqueles que não dispensa uma saída fora de estrada, aconselho-o a optar pela versão AWD mais preparada para evitar eventuais patinações.

 
VALORES
O Honda CR-V Hybrid está disponível nos 4 níveis de equipamento existentes e a partir dos 41.500€*, pagando de IUC (2019) 238,66€.
A unidade ensaiada, devido à pintura perolizada Branco Platinum, fica cotada nos 47.550€* (base: 46.900€*).

A marca tem atualmente em vigor uma campanha de desconto de 2.000€, para além da extensão de 4 anos sem limites de quilómetros aos já existentes 3 anos da garantia de fábrica, e da assistência em viagem durante os próximos 7 anos.

*valores válidos a partir de agosto de 2019


Conheça melhor a versão híbrida do CR-V: Honda CR-V Hybrid - toda a informação



C. Ruivo
Back To Top